18 de mar de 2014

Eis a questão...

 Cada ser vive sua vida do jeito que achar melhor. Eis a questão! Porque então as pessoas reclamam de tudo o tempo todo?
Na minha vida cotidiana percebo que as pessoas estão sempre preocupadas com o que "os outros" pensam de suas atitudes. Obviamente que se dizerem-lhes isso, negarão com todas as suas forças, acompanhada da famosa frase "faço o que quero e ninguém tem nada haver com a minha vida".
Isso mesmo, ninguém tem nada haver com a vida de ninguém. Mas acontece que o excesso de "coitadice" das pessoas misturados com um tanto generoso de egoísmo, fazem com que elas não percebam que suas atitudes interferem na vida daqueles que lhes compartilham a estrada, de forma que se, esses, tentam lhes aconselhar (conselho: parecer ou opinião que se emite sobre o que se convém fazer; aviso, advertência), são ditos intrometidos e se, esses, deixam de lado (danem-se, nada tenho haver com isso) são ditos ingratos.
Pensando e analisando todas essas coisas, cheguei na conclusão que a melhor coisa é a neutralidade, apenas observar e ver onde as coisas vão chegar. Não negar a ajuda quando preciso, mas não encher-se de preocupação e não sofrer a dor daqueles que  escolheram o caminho penoso para evolução.
Uma coisa é fato, todos chegaremos lá, de uma forma ou de outra. O que faz diferença  é o caminho escolhido, uns com a mente aberta e dispostos a ver os sinais e outros com o véu das ilusões lhes encobrindo os olhos, não os do corpo, mas os da alma
 
Elisangela Paiva. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário